Você já ouviu falar sobre Kefir? Entenda os benefícios

Por Rafael Genario, acadêmico de Nutrição, e Felipe Almeida, nutricionista

O Kefir – um alimento vivo produzido através da fermentação do leite – vem ganhando bastante espaço na mídia por causa dos seus diversos efeitos benéficos. Um dos principais é o fato de ser um probiótico, 80% dele é composto de Lactobacillus (1).

Falaremos hoje daqueles que realmente têm respaldo da literatura em humanos.

O líquido coado após 24 horas de fermentação do Kefir com o leite tem uma textura parecida com a de um iogurte, sendo então próprio para consumo, enquanto os grânulos são novamente adicionados ao leite para nova fermentação.

Mas vamos falar sobre as evidências:

Em pessoas com intolerância à lactose, tanto o Kefir como iogurtes não flavorizados são considerados eficazes na diminuição dos sintomas relacionados a essa intolerância, como flatulências e dores abdominais (2). Isso se deve a ação da b-galactosidade, enzima presente no Kefir que reduz o conteúdo de lactose. É claro que isso vai depender do grau de intolerância que a pessoa tem, e são necessárias mais pesquisas a respeito.

Estudos, desta vez in vitro e em animais, demonstraram ação antimicrobiana (3) e aumento de Lactobacillus e Bifidobacterium, além da diminuição de Clostridium nas fezes (4), associando-se então a uma microbiota mais saudável nos animais.

No Isulbra tem curso online sobre Bioquímica de Lipídios e Dieta Proteica! Quer fazer? Clique aqui!

Também em animais, o consumo mostrou diminuição do colesterol LDL e triglicerídeos (5), além de maiores efeitos anti aterogênicos nos animais que consumiram dietas ricas em gorduras com Kefir, frente ao grupo controle sem Kefir (6).

Porém, em humanos, o consumo (7) por quatro semanas não afetou os níveis de colesterol total, LDL ou Triglicerídeos, mesmo aumentando os ácidos graxos de cadeia curta nas fezes, o que nos leva a pensar que talvez haja efeitos hipocolesterolemiantes em um prazo maior.

Na diminuição de glicose sanguínea, diabéticos se beneficiaram com o consumo de 600ml/dia de Kefir por oito semanas, comparando com sua baseline e grupos que consumiram apenas leite fermentado (8). Isso pode ocorrer por causa da diminuição de lipossacarídeos no lúmen intestinal, que afetam os receptores de glicose.

Ainda há outros efeitos do probiótico, como atividade anti-inflamatória, anticarcinogênica, antioxidante e anti-hipertensiva, porém em estudos com animais e in vitro. Ainda não há resultados significativos em humanos, mas, com certeza, o futuro das pesquisas envolvendo esse tema é promissor pelo que vimos até aqui.

Referências:

1- Lopitz-Otsoa F, Rementeria A, Elguezabal N, et al. (2006) Kefir: a symbiotic yeasts–bacteria community with alleged healthy capabilities. Rev Iberoam Micol 23, 67–74.

2- Hertzler SR & Clancy SM (2003) Kefir improves lactose digestion and tolerance in adults with lactose maldigestion. J Am Diet Assoc 103, 582–587.

3- Ismaiel AA, Ghaly MF & El-Naggar AK (2011) Milk kefir: ultrastructure, antimicrobial activity and efficacy on aflatoxin b1 production by Aspergillus flavus. Curr Microbiol 62, 1602–1609.

4- Liu J-R, Wang S-Y, Chen M-J, et al. (2006) The antiallergenic properties of milk kefir and soymilk kefir and their beneficial effects on the intestinal microflora. J Sci Food Agric 86, 2527–2533.

5- Golowczyc MA, Gugliada MJ, Hollmann A, et al. (2008) Characterization of homofermentative lactobacilli isolated from kefir grains: potential use as probiotic. J Dairy Res 75, 211–217.

6- Uchida M, Ishii I, Inoue C, et al. (2010) Kefiran reduces atherosclerosis in rabbits fed a high cholesterol diet. J Atheroscler Thomb 17, 980–988.

7- St-Onge M-P, Farnworth ER, Savard T, et al. (2002) Kefir consumption does not alter plasma lipid levels or cholesterol fractional synthesis rates relative to milk in hyperlipidemic men: a randomized controlled trial. BMC Complement Altern Med 2, 1.

8- Ostadrahimi A, Taghizadeh A, Mobasseri M, et al. (2015) Effect of probiotic fermented milk (kefir) on glycemic control and lipid profile in type 2 diabetic patients: a randomized double-blind placebo-controlled clinical trial. Iran J Public Health 44, 228–237