Para que serve a Relação Cintura/Estatura (RCE)?

Olá tudo bem ?

Hoje vamos falar sobre a relação cintura/estatura

A relação cintura/estatura, nada mais é do que a razão entre o perímetro de cintura, dado em centímetros, pela razão da estatura, também dada em centímetros. Sendo assim estabelecida a razão cintura/estatura desta forma:

 

RCE= perímetro de cintura (cm) / estatura (cm)

 

Vários métodos para avaliação nutricional estão descritos na literatura, e os métodos convencionais têm sua utilização preconizada pela praticidade, baixo custo e precisão diagnóstica. Nesse grupo destaca-se a antropometria, e o índice de massa corporal (IMC), a circunferência da cintura (CC) e a razão cintura-quadril (RCQ) têm seu uso largamente difundidos.

Conheça um pouco mais sobre alguns marcadores presentes nas doenças cardiovasculares

A RCE como medida antropométrica

Recentemente, a razão entre a circunferência da cintura e a estatura (RCE) tem sido proposta como medida antropométrica para avaliar adiposidade central por estar fortemente associada aos fatores de risco cardiometabólicos, como hipertensão e síndrome metabólica, e por sua relação com a mortalidade, independentemente do peso corporal.

Atualmente a literatura mostra que ambas as relações são eficazes, tanto a RCE quanto a RCQ porém a literatura mostra uma melhor eficácia para a relação cintura/estatura principalmente quando a população é idosa, onde a prevalência de hipertensão e diabetes mellitus tipo 2 é alta, o que acarreta em diversas doenças cardiometabólicas, como já foi dito.

Um estudo recente propôs investigar o ponto de corte para a população idosa, já que essa relação tem sido utilizada principalmente para o público adulto, no Brasil, ainda não há este ponto de corte para essa população, um estudo de 2010 aplicou os protocolos de CC,IMC, RCQ e RCE em 759 homens e 896 mulheres num total de 1655 pessoas com uma média de 45 anos e constatou que a RCE possui uma capacidade maior de identificar síndrome metabólica e se mostrou semelhante, comparado com a RCQ, ambas sendo mais eficazes do que circunferência de cintura e índice de massa corporal. Já na população idosa, onde no Brasil ainda não se tem um ponto de corte.

Quer saber mais sobre antropometria? Acesso o site Isulbra

Já em outro estudo, publicado em 2017, avaliou 6624 idosos acima dos 60 anos de idade,  sendo 2093 homens e 3329 mulheres, através da curva ROC (receiver operating characteristic) foram identificados para o ponto de corte de 0,55 e em ambos estudos, são recomendações a utilização da RCE na prática clínica por sua simplicidade e pelo bom poder de detecção de excesso de peso não somente em idosos mas no público adulto.

 

Ou seja, a RCE é mais um método de avaliação para predição de doenças cardiometabólicas que veio a melhorar ainda mais a identificação destas doenças, sendo ela mais eficaz, segundo alguns estudos, para a identificação da síndrome metabólica, então o ideal é sempre utilizar de todos os recursos possíveis para ter o melhor diagnóstico possível da situação de seu cliente, grupo ou população com que se vai trabalhar.

Então…

Opte sempre pelo que a ciência tem mostrado ser mais eficaz e assim, a chance de errar é muito menor. Não acredite em tudo que falam ou que dizem dar certo apenas por sua experiência, vá atrás de ciência.