Ovários policísticos e exercício físico

Dyslipidaemia in woman with polycystic ovarian syndrome: A case control study in tertiary care hospital of Karachi

Vamos falar sobre a síndrome do ovário policístico, ela é uma doença endócrina evidenciada principalmente em mulheres com idade fértil, caracterizada por  numerosos cistos na superfície dos ovários. Sua causa não é totalmente esclarecida, sendo associada a fatores genéticos e uma possível ligação com a resistência à insulina, por exemplo, mulheres que apresentam esta condição possuem maior dificuldade de emagrecer, seu diagnóstico é evidenciado quando há, pelo menos, dois critérios, sendo eles:

– a verificação por ultrassonografia

– sem ou com ovulação desregulada

– aumento dos níveis de testosterona no sangue

Curso fisiologia humana saiba mais…

O que a ciência diz sobre isso? 

Um estudo de 2014 realizado com 50 mulheres verificou que há uma relação entre os níveis de triglicerídeos, HDL e LDL sobre a obesidade, de mulheres que possuem esta síndrome. Neste estudo de caso, constatou-se que os níveis de triglicerídeos em jejum e lipoproteína de baixa densidade foram maiores comparados aos de mulheres saudáveis da mesma faixa etária e peso enquanto que a lipoproteína de alta densidade estava significativamente baixa já as mulheres consideradas obesas, segundo os resultados, apresentaram alto valor de triglicerídeos.

Estes fatores levam com que a mulher possa apresentar acne, hirsultismo,  doenças tais como diabetes melittus tipo 2, hipertensão, obesidade e dislipidemia, devido também a esta resistência a insulina. Essa síndrome apresenta geralmente níveis aumentados de colesterol, resistência à insulina, obesidade abdominal e níveis de TNF-alta aumentados como citado anteriormente em um estudo recente e, o exercício físico pode contribuir positivamente para a diminuição destes níveis elevados. Beleza sabe-se que o exercício físico promove benefícios à saúde e, neste caso em específico do fator de necrose tumoral (TNF-alfa) ele diminui os níveis através da produção de interleucina-6 (IL-6), fazendo com que haja uma obstrução da produção de novos cistos diminuindo então os níveis alterados de seus marcadores.

Conversar com sua aluna é essencial para que o profissional de educação física consiga conhecer com que esta trabalhando, pois a falta deste conhecimento influencia diretamente criando um viés de periodização seja na prescrição de exercícios ou planejamento do treinamento ou em ambos. Dessa maneira, tratar esta síndrome e ter este diagnóstico precoce ajudará não só sua cliente, mas também no seu trabalho.

Leia mais sobre colesterol…

http://jpma.org.pk/PdfDownload/6933.pdf

http://www.brasil.gov.br/editoria/saude/2015/02/saiba-mais-sobre-a-sindrome-do-ovario-policistico