Estamos formando pessoas incompetentes

Estamos formando pessoas incompetentes…

Vamos aos fatos sem meias palavras, estamos formando cientistas muito ruins.

A anos que vemos a ciência se deteriorar pelos próprios interlocutores.  A ciência sofre sistematicamente pelo desinteresse e falta de “criatividade” dos promotores. Sim, convenhamos ler ciência muitas vezes é bem chato. Fazer ciência também não é algo motivador, quando falamos de Brasil a coisa fica ainda sem dinheiro e estrutura. Temos que pensar em muitas coisas, montar um desenho experimental robusto e inteligente, entender métodos de análise específica e estatística para que possamos ter um poder de publicação.

Eu tenho pouco tempo de cientista, tento de todas as formas POSSÍVEIS divulgar a boa a ciência e entender ela da melhor forma.

Concluí, por hora, que preciso fazer de tudo e mais um pouco para que o motivo mais forte de sermos diferentes dos outros animais tenha continuidade. Sim, aprender com nossa curiosidade é fundamental e o que nos torna muito diferentes, não melhores, apenas diferentes. Por isso que esse texto esta sendo escrito, para que possamos aprender e corrigir o curso do processo. Ciência é o que faz uma sociedade melhor. Países que se baseiam em princípios científicos são menos suscetíveis a problemas financeiros e seu povo é menos manipulável. O brasil é a festinha da manipulação popular. Vendem água com limão, estratégias mágicas de emagrecimento, técnicas estéticas ridículas que não tem base alguma do ponto de vista científico!

Diversos estudos têm sido publicados sobre o tema, a “morte” da ciência.  Um dos princípios mais básicos do método científico é a reprodutibilidade. Se você faz um estudo científico deves escrever seu artigo com informações que permitam que outros cientistas possam reproduzir o estudo e assim dar mais força para seus achados. Trabalho publicado em 25 de maio de 2016 mostra que mais de 70% dos pesquisadores tentaram e não conseguiram reproduzir os experimentos de outros cientistas, e mais da metade não conseguiu reproduzir seus PRÓPRIOS experimentos (https://www.nature.com/news/1-500-scientists-lift-the-lid-on-reproducibility-1.19970).

Mas o problema vai além. Não há interesse em reproduzir estudos. Já no trabalho de conclusão da faculdade escutamos o orientador dizer: “seu trabalho tem que ser algo inédito, inovador”, precisa?

Estamos falando de tese de doutoramento ou tcc?

Quem sabe se mais graduandos pudessem em seus estudos de tcc realizar a reprodução de estudos já publicados não seria algo muito mais interessante que aplicar um questionário, muitas vezes inútil, que é discutido por uma banca que realmente acha que esta avaliando ciência?

Sim bancas de tcc são tribunais ridículos de ego entre professores. Faça você ciência professor, não publicou nem seu artigo de mestrado e se o fez não serviu para nada, ele só entrou para uma lista inútil de coisas em seu currículo que via de regra apenas você, e um bando de idiota, acham bom por ser grande.

Alguns trabalhos mais impactantes na área da psicologia e biológica do câncer têm mostrado uma baixa reprodutibilidade 40 e 10% respectivamente.

Então seria essa a ciência que queremos desenvolver?

A ciência que trata tudo como apenas números sem sentido?

Quanto mais publicações melhor?

Para, do verbo parar, de achar que currículo cheio é currículo bom!

Pergunte-se quanto o que você faz é realmente importante e aplicável para sociedade. Sendo muito sincero tem muita gente que não produz ciência e é melhor que muito cientista ao divulgar a importância da boa ciência em redes sociais (me julgue).  O fato de alguém ter feito mestrado ou doutorado não faz dele alguém inquestionável. Na academia poucos estudam realmente sobre ciência. A maioria dos pesquisadores não entendem o uso de P ou o que significa poder de análise estatística. Poucos sabem sobre amostragem e seleção de amostra. Mas ensinam isso, ou tentam ensinar. A ciência não é palpável, ela não esta no plano físico. Ciência é conhecimento.

A única coisa que precisamos ter em mente é que precisamos do método científico para controlar a probabilidade de que esse conhecimento tenha menor chance de estar errado. Sim, existe um % de erro em tudo que fazemos. Para isso que serve o P e o poder de análise. Quando falamos que P é < 0,05 significa que o conhecimento gerado pelo meu ou o seu estudo tem 5% ou menos de chance de rejeitar a hipótese. Mas isso vale para este estudo e não pode ser aplicado de maneira indiscriminada, extrapolado de maneira cega como resultado definitivo. Um poder de análise de 80% é muito bom e aceito. “O Poder do Teste tem como objetivo conhecer o quanto o teste de hipóteses controla um erro do tipo II, ou qual a probabilidade de rejeitar a hipótese nula se realmente for falsa”. Isso significa que há 20% de chance de “erro” no meu método de análise da diferença.  Sendo assim, se eu fizer 3 estudos iguais, com poder de 80% do método estatístico, tenho quantos % de chance de encontrar resultados parecidos aos encontrados no primeiro estudo? A matemática nos diz 50% de chance. Então, como posso eu acreditar que a ciência é exata?

MAS ELA NÃO TEM INTERESSE DE SER EXATA! 

Veja sobre divulgação da ciência http://blog.profitbox.com.br/divulgacao-da-ciencia/

Os interlocutores precisam entender que: Ciência = conhecimento e conhecimento é mutável, logo a ciência é um organismo vivo em constante desenvolvimento. Na ciência não existem dogmas, ou seja, não existem verdades absolutas. Hoje se evita em ciência em falar de leis ou de propor novas leis para que não aconteça esse engessamento do processo de descoberta. Questionaremos tudo e todos… “Nullius in verba”…

Porém, quando falamos de cientistas estamos falando de seres humanos. Que são suscetíveis a erros, sujeitos influenciáveis e cheios de medos em assumir suas responsabilidades sociais. Quando aceitam falcatruas, quando praticam ciência fraca, quando não se dedicam a fazer o que devem fazer…  se você é mestre ou doutor, você é parte do problema, caso seja incompetente.

A ciência esta decadente não por ser ciência e sim por ter cientistas formados á toque de caixa. O número de mestres e doutores formados pelas universidades brasileiras mais que quadruplicou entre 1996 e 2011, passando de 13.219 em 1996 para 55.047 em 2011 – aumento de 312% -, segundo uma compilação inédita divulgada pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), organização social ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).  Em novembro de 2016, o número de acadêmicos com doutorado registrados na plataforma Lattes de currículos acadêmicos do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) era de… 218.562 (mais de duzentos e dezoito mil) (https://bit.ly/2yE3n9n).

As universidades sabem disso e estão tirando proveito. Pagam menos, exploram desviando funções e colocando responsabilidades gigantescas em pessoas que não tem formação para. Ser professor/cientista hoje em dia exige uma dedicação absurda para ter qualidade, atualização e produção nas áreas de dedicação. Uma parte dos colegas desiste e passa a enganar. Passa a fazer menos e exigir menos de sua competência. Isso gera o ciclo de decadência que vivemos hoje. Os professores lutam para continuar produtivos, mas tem salários ridículos. Jovens  sem preparo algum de vida se tornado mestres e doutores. Não que não haja bons profissionais jovens, não é isso. Mas experiência e maturidade permite uma visão mais clara e objetiva do todo. Precisamos urgentemente rever os critérios de formação científica no Brasil. Menos números que mais qualidade precisa passar a ser prioridade para que a ciência não venha a morrer. A ciência faz a sociedade melhor e mais rica em todos os campos.

Veja esse vídeo sobre a importância da ciência em nossa sociedade.  https://www.youtube.com/watch?v=BBs_okM-3yA&t=78s 

Não desacredite da ciência, apenas se aproxime da ciência boa, da divertida, da produtiva e edificante. Vamos lutar sempre para que possamos manter a ciência mais difundida e menos frágil.

Dr. Andre Lopes

PhD em Ciências do Movimento Humano

Abraço.

Assista como escolher um artigo científico! https://www.youtube.com/watch?v=dD68mUaWwgs