Análise de artigo: ingestão de proteína

Olá tudo bem?

Vamos fazer uma análise de artigo científico?

Eu acho interessante alguns artigos e mais ainda algumas análises de resultados. Vou tentar ser o máximo possível didático… difícil explicar tudo em texto, mas me perdoem se possível.

Achei um artigo bem interessante e tem virado “referência” sobre a questão para ganhar massa muscular e perder gordura, não se precisa contar calorias, essa principalmente relacionada ao segundo ponto, perder gordura.

Ai vem a galera da proteína e diz… viu só, dieta proteica emagrece mesmo quando se consome mais calorias… e as palminhas não param de aparecer e os corações de curtidas também não.

No artigo publicado em julho desse ano, Effects of High Versus Low Protein Intake on Body Composition and Maximal Strength in Aspiring Female Physique Athletes Engaging in an 8-Week Resistance Training Program.

Os autores trazem que um grupo de mulheres ao realizar treinamento de força e HIIT, mesmo consumindo mais calorias (proteína) pode ganhar massa muscular (2kg) e perder gordura (-1,1kg), o outro grupo mudou apenas a dieta consumindo menos calorias (pouca proteína), e não teve resultados assim tão expressivos. Alguns mais inocentes vão dizer… viu, consumir mais proteína, mesmo que isso gere mais calorias ajuda a emagrecer. No artigo não diz que o grupo de baixa caloria não perdeu gordura e não ganhou massa muscular, diz que ganhou menos comparado ao outro grupo. Mas por que foi menos?

Quer ter uma base maior sobre este assunto e poder ter maior raciocínio para discutir este assunto…

 Ao verificar os cálculos da tabela que mostra a comparação da ingesta calórica antes e após as intervenções. Notei que existe um contexto bem interessante e um viés bem legal sobre o consumo de calorias dos grupos.

O grupo HP (alta proteína) consumia 1588kcal e com a intervenção passou a consumir 1839kcal, já o grupo LP (baixa proteína) consumia 1708kcal e com a intervenção, passou a consumir 1416kcal. Em uma conta rápida, bem simples, podemos notar que o grupo HP (alta proteína) teve um aumento de 251kcal em sua dieta e o grupo LP (baixa proteína) uma queda de 292kcal. Esses valores eu arredondei usando 4kcal para cada grama de proteína e CHO e 9kcal para cada grama de gordura.

Que legal isso né? O grupo que ganhou mais massa muscular e perdeu calorias estava em anabolismo e o que não ganhou tanto assim massa, estava em catabolismo. Não me admira que tenha havido um ganho maior do grupo que consumiu mais calorias relativas quando comparado ao grupo que tinha queda do consumo relativa. Relativo a base de consumo antes do estudo.

Outro resultado bem interessante que pode se tirar disso, é referente aos resultados de taxa metabólica basal, mesmo tendo mais massa muscular adquirida +2kg, a taxa metabólica do grupo HP baixou e mesmo não ganhando tanto +0,6kg  de massa muscular o grupo LP aumentou a taxa metabólica basal. Não é incrível isso?

Sem falar que a análise da composição corporal foi com um equipamento que, muitos estão achando o máximo, mas traz erros bem grandes de análise por usar equações de baixa reprodutibilidade. Junte isso com a falta de raciocínio na hora de olhar os resultados e pronto! Temos um artigo cheio de problemas de discussão e conclusão. Eu digo isso para meus alunos, você precisa de uma boa capacidade para gerar uma pergunta para um estudo científico e uma capacidade maior ainda para achar o melhor desenho e métodos para se obter as respostas e analisá-las.  Um estudo bom nasce de uma boa pergunta, mas só se desenvolve saudável com uma metodologia inteligente.

No blog temos um post sobre composição corporal também…

Abraço Att. Dr. Andre Lopes