ACÚMULO DE LACTATO DURANTE O TREINAMENTO DEPENDE DO QUE?

ACÚMULO DE LACTATO DURANTE O TREINAMENTO DEPENDE DO QUE?

Inicialmente, exercícios com pesos eram caracterizados como predominantes em metabolismo glicolítico e fosfagênico, relacionando formas de execução do exercício com a intensidade do esforço e verificando variáveis fisiológicas na compreensão de respostas bioquímicas e metabólicas ao treinamento proposto.

Contudo, esses estudos apresentam informações resultantes de diversas circunstâncias de treinamento, com diversas combinações de prescrição. Sendo assim, as respostas obtidas dessas avaliações, que deveriam direcionar programas de treinamento, apenas levam a uma maior variedade de formas de elaborar protocolos.

Quer fazer um curso online sobre HIIT? Veja nosso curso >>> HIIT Vs Emagrecimento <<< 

Mais precisamente, em relação a concentração de lactato sanguíneo, os fatores que geram influência são:

  1. a) menor intervalo entre séries, que contribui para o aumento do lactato,
  2. b) volume do treinamento,
  3. c) quantidade de massa muscular envolvida
  4. d) nível de treinamento do indivíduo que realizará a atividade. Sendo que sujeitos treinados pendem a uma maior tolerância ao esforço, devido a uma provável adaptação glicolítica e Fosfagênica.

No que diz respeito aos protocolos de treinamento, estudos prévios mostram que o circuito tende a ser executado com predomínio de demanda glicolítica, apesar de ser considerado uma forma de prescrição que ativa mais o sistema oxidativo.

Sendo assim, o acúmulo de lactato após exercícios com pesos demonstra variação em decorrência dos fatores citados acima, e seu aumento depende do protocolo de treinamento utilizado.

SIQUEIRA, L.O.C.; PRADO, M.M.; SIMIONATO; A.R.; PESSOA, D.M. Resposta aguda do lactato sanguíneo a diferentes protocolos de treinamento com pesos. Rev Bras Med Esporte – Vol. 24, N. 1 – Jan/Fev, 2018

O estudo averiguou protocolos de treinamento com pesos, com os mesmos dez exercícios propostos, de maneira circuitada e de maneira convencional, no qual o treinamento em circuito contou com 3 passagens pelas 10 estações, e o treinamento convencional contou com 3 séries de 12 repetições em cada um dos 10 exercícios.

Ambos protocolos demonstraram altas concentrações de lactato: para o treinamento circuitado a contribuição glicolítica parou de ser predominante a partir da segunda passagem, e no treinamento convencional a queda deu-se a partir do quinto exercício proposto.

Portanto, a concentração de lactato, aparentemente, depende mais da importância da intensidade da carga e demanda de quantidade muscular necessitada para a execução do exercício do que de outros fatores, uma vez que os protocolos convencionais foram estruturados de maneira semelhante quanto a volume.

Leia mais sobre treinamento nesse artigo do blog >>> Leia mais <<<

SYLVIA VENZKE – Graduanda em Educação Física (ESEF/UFPel)