Saiba por que a castanha portuguesa faz tão bem à saúde

A castanha portuguesa é uma grande aliada da saúde! Quer saber por quê? Leia essa entrevista da especialista em Nutrição Clínica e Esportiva, Andrea Bauermann.

BENEFÍCIOS
A castanha portuguesa tem como nome científico Castanea Sativa Mill, contém diferentes nutrientes que são muito importantes para a nossa saúde. O destaque entre esses nutrientes é para o amido, um carboidrato que tem absorção lenta na digestão e assim ajuda a controlar o açúcar no nosso organismo. Outro grande benefício da castanha são os aminoácidos que ela possui. Os aminoácidos são fundamentais para a construção celular e muscular no nosso corpo e os da castanha são de alto valor biológico, são aminoácidos essenciais que não conseguimos produzir no nosso corpo e por isso devem ser consumidos pela dieta todos os dias. Outro benefício muito bom que a castanha tem são as “gorduras boas”. Você já deve ter ouvido falar em ácidos graxos monoinsaturados (Mufa) e ácidos graxos poli-insaturados, que são gorduras que ajudam a controlar o LDL-c (colesterol “ruim”) e aumentam o HDL-c (colesterol bom), também tem efeitos anticâncer e na prevenção de doenças cardiovasculares e transtornos neurológicos. Essas gorduras também deixam que a castanha tenha menos gordura e calorias quando comparada a avelãs, amêndoas, castanha-do-pará.

Poderosa no quesito saúde, essa semente tem outros benefícios. Ajuda nas funções do intestino, porque tem amilopectina que controla as bactérias que fazem mal. Contém quantidades significativas de fibras, que são responsáveis, por exemplo, pelo aumento da viscosidade do conteúdo intestinal, auxilia na prevenção e tratamento da doença diverticular do cólon, parece reduzir o risco de câncer no intestino e melhorar o controle do diabetes mellitus.

Como toda a família das castanhas, seus efeitos positivos estão associados a quantidade de vitaminas que elas possuem. Dentre elas, podemos destacar a vitamina E. Ela tem função antioxidante muito potente, evitando que as pessoas envelheçam tão rapidamente e ainda aumenta a proteção contra doenças crônicas, como Parkinson e Alzheimer. Além disso, tem um conteúdo mineral importante, são boas fontes de Ferro, Potássio, Selênio, Magnésio, Manganês e Cobre.

MALEFÍCIOS
Como tudo em excesso faz mal, deve-se ficar atento para o consumo exagerado da castanha. Ela é rica em micronutrientes que ingeridos em alta quantidade podem ser tóxicos para a nossa saúde. O Selênio, por exemplo, em excesso pode causar a selenose, que causa danos como a perda ou fragilidade de unhas e cabelos. Além disso, se essa alta quantidade no seu consumo for mantida, distúrbios gastrointestinais, hálito com odor forte (como de alho), cansaço, irritação e anormalidades no sistema nervoso podem vir a aparecer. Cada faixa etária possui um valor de recomendação diária de selênio e dos outros micronutrientes, por isso deve sempre ter o acompanhamento de uma nutricionista e não comer demais um único alimento.

Leia também Café com ou sem açúcar?

DICAS DE PRATOS COM CASTANHAS
Uma receita muito tradicional e que acompanha um jantar, ou até mesmo a ceia de natal é a farofa de castanhas.  A castanha deixa mais sofisticado esse prato simples e acompanha muito bem carnes e aves. A outra receita é um creme simples para sobremesa, que fica delicioso, além de ser muito simples de fazer é leve e pode ser servido depois de qualquer refeição acompanhado de um vinho do porto.

FAROFA DE CASTANHAS PORTUGUESAS

Ingredientes
1 cebola grande descascada
1/2 xícara de ameixas secas sem caroço
1 xícara de castanhas portuguesas cozidas e descascadas
4 colheres (sopa) de manteiga
1/2 xícara de uvas-passas claras sem sementes
1/2 xícara de mel
2 xícaras de farinha de mandioca torrada
Sal a gosto

Modo de preparo: Pique bem a cebola e pique grosseiramente as ameixas. Quebre em pedaços as castanhas portuguesas. Refogue a cebola na manteiga derretida até começar a dourar. Junte as uvas-passas, as ameixas e as castanhas. Frite por um minuto. Junte o mel e misture. Adicione a farinha de mandioca e mexa bem até que tudo fique bem misturado. Coloque sal a gosto. Sirva quente ou fria.

CREME DE CASTANHAS PORTUGUESAS

Ingredientes
300g de castanhas-portuguesas
1 pitada de erva-doce
1 pitada de açúcar
Sal a gosto
2 potes de iogurte natural desnatado
100ml de creme de leite fresco
3 colheres (sopa) de açúcar

Modo de preparo: Faça um corte em cruz na extremidade mais estreita das castanhas. Cozinhe em bastante água misturada a uma pitada de sal, uma de açúcar e outra de erva-doce (para aromatizar o fruto). Utilize panela comum ou de pressão se quiser apressar o processo. Elas estarão cozidas quando a casca estiver macia e se desprendendo da polpa com facilidade. Descasque. Bata o iogurte com as castanhas no processador e transfira a mistura para uma tigela. Na batedeira, bata o creme de leite com o açúcar até o ponto de chantilly. Depois, adicione-o às castanhas processadas e misture até ficar bem homogêneo. Distribua o creme em potinhos e decore com uma castanha cozida. Sirva frio.

CUIDADOS
Os cuidados mais importante ao consumir as castanhas portuguesas é se certificar que elas vem de uma produção que tem os devidos cuidados durante a produção. Gestantes e pessoas com alguma doença devem ter orientação de um nutricionista para incluir as castanhas, e todos os alimentos, nas suas refeições.

Conheça meu curso online sobre Aspectos Fisiopatológicos da Obesidade.

Referências:

Demiate, I. M. et al. Characterization of Chestnut (Castanea sativa, Mill) Starch for Industrial Utilization. Brazilian Archives of Biology and Technology. Vol. 44, N. 1 : pp. 69 – 78, March, 2001.

Carocho, M. et al. Castanea sativa Mill. Flowers amongst the Most Powerful Antioxidant Matrices: A Phytochemical Approach in Decoctions and Infusions. BioMed Research International. Volume 2014, Article ID 232956, 7 pages.

Chiarini, A. et al. Sweet Chestnut (Castanea sativa Mill.) Bark Extract: Cardiovascular Activity and Myocyte Protection against Oxidative Damage . Oxidative Medicine and Cellular Longevity. Volume 2013, Article ID 471790, 10 pages.